sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

PROJETO

Projeto:
“Redescobrindo a Jornada de meu pai”

As realidades são determinadas
pela extensão dos sonhos.
A extensão dos sonhos é determinada
pela observação das realidades.

Justificativa Histórica

Geral:
O Brasil conhece pouco a história do Brasil.
Durante a II Guerra Mundial, e no período que antecedeu, éramos governados pelo ditador Getúlio Vargas.
Antes da guerra tínhamos amplos negócios com a Alemanha de Hitler, onde era utilizado o sistema de trocas: o Brasil enviava algodão, madeira e matérias primas para a Alemanha, e eles nos enviavam armamentos e manufaturados.
A Ditadura de Getúlio Vargas importou o modelo trabalhista de Benito Mussuline e a legislação municipal e política migratória de Adolf Hitler. Somente fomos à guerra contra o Nasi-Fascismo depois de disputas de interesses nos quais os EUA estiveram envolvidos.
A II guerra mundial teve início em 1939, e o Brasil entrou no conflito em agosto de 1942. Em discurso aos soldados brasileiros na hora do embarque para a Itália, Getúlio Vargas prometeu amparar os pracinhas e suas famílias.
A Campanha da Itália foi marcada por grandes dificuldades, entre as quais, as baixas temperaturas e a falta de conhecimento dos armamentos americanos usados por nosso exército. Entretanto, está historicamente comprovada a importância do exército brasileiro na campanha da Itália que contribuiu para a rendição do exército alemão na batalha de Monte Castelo e Vale do Pó, entre outras.
No retorno da Força Expedicionária Brasileira, após o final da guerra, Getúlio Vargas faz o oposto do que havia prometido, e a grande maioria dos soldados voltou a ser “cidadão comum”, e viveu décadas de desamparo, sem condições psicológicas para, realmente, retomar suas vidas do ponto de onde as tinham largado.

Pessoal:
Inserida nesse contexto histórico e nas realidades pessoais, minhas e de tantos filhos de veteranos da FEB, desenvolvo este projeto que carrega, em seu âmago, a simbologia da paz.
Meu pai resolveu, aos 17 anos de idade, não mais plantar algodão em Pernambuco, e como alternativa para mudança de rumo em sua vida, se alistou no exército como voluntário, pois residia em zona agrícola e não tinha obrigação de servir.
Não somente ele, mas muitos outros agricultores dos interiores remotos do nosso país foram para a Itália na FEB.
Acreditamos que nossa proposta não busca simplesmente o resgate de uma história familiar e social, mas propõe buscar conteúdos imagéticos e literários que, certamente, terão significados amplos para a sociedade brasileira, a paz e a diversidade cultural

A propost

Motivação pessoal:
Tornou-se necessário, dentro de minha produção e crescimento artísticos, redescobrir os caminhos feitos por meu pai, durante a II Guerra Mundial. Ele, hoje com 87 anos de idade, saiu do Brasil no início de 1945 e permaneceu na Itália, por seis meses, até o final do conflito e a reconstrução de locais devastados pela guerra.
Este retorno significou para mim a possibilidade de meu nascimento, e é no sentido da celebração da minha e de tantas outras vidas que me proponho a refazer sua jornada.
O projeto terá início em Pernambuco, de onde ele saiu para o Rio de Janeiro, tendo lá permanecido até embarcar no navio General Meigs para o porto de Nápoles e depois para o Depósito de Pessoal da FEB, na Itália, onde participou efetivamente do conflito. Dentro da proposta do projeto estão entre outras coisas, escrever um diário de viagem e fotografar os locais por onde ele passou, entrevistar pessoas que lá vivem, além de outras atividades que surgirão no processo.
É importante observar que o projeto será desenvolvido dentro de parâmetros determinados por minha experiência artística, que ocorre hoje, praticamente 66 anos depois do final da II Guerra Mundial. Considero esse projeto uma dívida com meu pai e com todos os que lutaram pela derrocada do nazi-fascismo.

Objetivos
Geral
Refazer os caminhos de Gastão Veloso de Melo, ex-combatente da Força Expedicionária Brasileira, durante a II Guerra Mundial, incluindo os momentos anteriores e posteriores, referentes à mesma.

Específicos:
a)Registrar, em formato audiovisual, entrevista com o Ex-Combatente Gastão Veloso de Melo. (ver mini entrevista em http://www.youtube.com/watch?v=MR-1c2htIok)
b)Montar o mapa de sua jornada na II Guerra mundial.
c)Realizar viagem com parada em todos os lugares onde ele esteve.
d)Escrever um diário de bordo e pequenos textos.
e)Captar informações sobre outros ex-combatentes e relacionar suas histórias.
f)Fotografar de forma documental e realizar ensaio fotográfico subjetivo.
g)Realizar exposições fotográficas com os resultados do projeto, ministrando palestra para cada exposição.
h)Produzir catálogo com fragmentos do diário de bordo, escritos diversos, documentos e fotografias.

Execução/apresentação dos resultados

Etapa I
a)Levantamento de dados – mapeamento dos locais a serem visitados
b)Mobilização para transporte – localizar formas de refazer a viagem Nápoles/Livorno, por mar, e o transporte entre outras localidades na Itália.
c)Mobilização para alojamento em terra – Já temos contato com Mário Pereira, hoje o responsável pelo Monumento Votivo Brasieliro, em Pistóia.
(ele é filho do soldado brasileiro que ficou em Pistoia, na Itália, cuidando do Cemitério da FEB até o momento em que os ossos dos mortos, anos depois, foram transladados para o Brasil).
d)Entrevistas, no Brasil, sobre a celebração da vida com o retorno dos soldados brasileiros que estiveram na guerra.
e)Obtenção de toda a documentação necessária para a viagem.
f)Criação de blog do projeto que será alimentado durante toda a sua execução e a posteriori.
Etapa II
a)Viagem pelo Estado de Pernambuco, incluindo visitas à casa onde Gastão nasceu, em Lajedo, ao quartel do Exército em Caruaru, onde ele se alistou, e aos pontos de patrulhamento na praia, no litoral sul de Pernambuco.
b)Viagem ao Rio de Janeiro, e visita à Central do Brasil, à Vila Militar, e ao cais do Porto (onde meu pai passou antes de ir para a Itália), e visita ao Monumento aos mortos da FBE, no Aterro do Flamengo.
c)Viagem à Itália, , visitando os locais onde Gastão esteve e retornando à casa de seus pais, em Lajedo.
d)Visita e tomada de fotos em locais na Holanda e na Polônia, relacionados com o Holocausto.
e)Entrevistas, na Itália, sobre a celebração da vida com o fim da guerra.
f)Tomada de fotografias de cunho documental.
g)Escrita de diário, que deverá começar no dia da “largada” do projeto e transcorrer todo o seu percurso, contendo dados, contos, entrevistas etc.
h)Realização de ensaio fotográfico, subjetivo, que ocorrerá paralelamente à escrita do diário.
i)Primeira edição de texto, foto e vídeo.

Etapa III
a)Edição final de texto, foto e vídeo.
b)Produção e publicação de livro do projeto.
c)Ampliação fotográfica e elaboração de peças que componham o projeto.
d)Apresentação dos resultados do projeto, através de exposição contendo fotografias, objetos e instalações.
e)Realização de palestras sobre as experiências e os resultados do projeto.


Cronograma simplificado

Etapa I – Mês 1 e 2
Etapa II – Mês 3, 4 e 5
Etapa III – Mês 6 e 7


Eliane Velozo
Belo Horizonte, novembro de 2010.

2 comentários:

  1. ola, maravilhosa esta ideia que teve

    ResponderExcluir
  2. voce é uma guerreira,
    amazona fica no chinelo, perto
    de sua capacidade!

    ResponderExcluir